quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Quem mexeu na literatura?

Ontem, dentro do ônibus, reparei que uma das mulheres que teve sorte de conseguir sentar-se segurava um catálogo de livros. Eram várias capas bonitas com preços chamativos. Mas nenhum me chamou mais atenção do que o “Como Lidar com Pessoas Difíceis” – que custava apenas 5,99 r$. Isso mesmo.

Não sou categoricamente contra livros de auto-ajuda. Acredito ser possível dar idéias para ajudar os leitores. Mas acho que, na verdade, só não sou um defensor ferrenho da extinção do gênero pois me divirto com títulos como esse. Eu vi num site um que se chama “Are You Your Mother?”.

É verdade, não são escritos com tanto apuro quanto um volume de Shakespeare ou Twain, mas eles vendem tanto que é certo que estão funcionando - ou pelo menos atraindo leitores. Afinal, quem não quer ler “Você Pode Influenciar Pessoas” ou “Como Vencer Discussões – Mesmo Estando Errado”? Quer dizer que podemos mandar e fazer todo mundo obedecer? Discutir com o chefe e receber um aumento? Tô dentro.

Porque, por mais canastrões que esses livros sejam, não são como aquele e-mails safados que chegam prometendo te ensinar inglês durante uma soneca. Os livros de auto-ajuda foram elaborados durante um bom tempo, em geral por psicólogos, médicos ou professores de renome e certificado na parede. Talvez não funcione para 100% das pessoas, mas se ajeitarem a vida de dois ou três, você não acha que já valeu?

Na verdade, acho que funcionam pois a pessoa já está pré-disposta à mudança, né? A mocinha tá cansada da vida e vê um livro desses, baratinho, na livraria do shopping: batata. Compra, lê, muda tudo, separa, viaja. E, se tudo der certo, em breve vira a famosa autora do best-seller “Descubra as Contas que Aquele Cachorro do Seu Ex Mantinha na Suíça".

Para ouvir depois de ler: Everybody Knows You Cried Last Night - The Fratellis

2 comentários:

/Lika disse...

na verdade, meu sonho é descobrir umas contas de ex na suiça: motivo certeiro para socar-lhes as caras, um por um.

impropérios à parte, tenho que admitir que possuo um exemplar de auto-ajuda em casa: COMO CURAR O STRESS E A DEPRESSÃO SEM O USO DE REMÉDIOS. ha ha. que piada.
=*

Clara disse...

livros de auto-ajuda são, sim, divertidos e podem funcionar. não são milagrosos, mas podem abrir os olhos para aquilo que a pessoa quer e não consegue.
palavra de redatora do canal de auto-ajuda via sms.
;)