sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Dos lugares que nunca estive

Adoraria poder fazer uma dessas viagens descompromissadas com a data de retorno e com o máximo de despesas. Se eu tivesse muito dinheiro e decidisse viajar, pra onde iria?

Não tenho certeza, mas acho que começaria nos Estados Unidos. É um país de tolos, mas eu não posso deixar de considerá-lo, é mais forte que eu. Preciso realizar o idiota sonho de infância e ir aos parques da Disney, brincar no máximo de atrações possível, comprar o máximo de bugigangas coloridas possível, tirar fotos estúpidas com pessoas fantasiadas.

Depois, Nova York. Ficar pelo menos um mês na Big Apple e fazer absolutamente tudo aquilo que vejo nos filmes. Acho muito legal ver os personagens falando desesperados aos celulares carregando cappuccinos em copos de isopor. Pick-nicks no Central Park de dia e baladinhas alternativas de noite. O máximo de junk-food possível – por que eu adoro e lá tem de todas as redes pelo menos uma loja. Tirar fotos nas locações de filmes e séries que gosto. Ia ser ótimo.

Daí, iria pro Reino Unido, em resumo, me embebedar. Toda a chamada “cultura PUB” é sensacional pra alguém como eu (hipoteticamente rico e descompromissado). De dia naqueles programas de tias: visitar, ver e fotografar a cidade, os monumentos, os castelos e de noite sair e fazer brindes com canecas gigantes de chope irlandês.

Aí começaria com a parte continental européia. Passar um tempinho em Portugal e na Espanha aproveitando bastante da culinária desses lugares. Uma passada na Itália não seria nada mal pelos mesmos motivos. Na França o mesmo esquema de Nova York: repetir costume de filmes. Cafeterias bonitinhas e museus sensacionais.

Depois descia pra África. Uns 15 dias lá. Na primeira semana podia ficar em algum daqueles hotéis resorts gigantescos e luxuosos. Fazer um safári um rafting ou uma dessas bobagens – só pra falar que fiz. Aí voltava pro norte do continente e fazia aquela coisa obrigatória de celebridades de “ver a pobreza de perto”. Quem sabe adotava alguém lá!

Depois ia pro Japão. De dia comer sushi horrores e passear pelos vários lugares lindos que existem por lá. Tirar um milhão de fotos em Tóquio, meditar em campos com cerejeiras e de noite, claro, as famosas e singulares baladinhas japonesas. E comprar tudo quanto é parafernália tecnológica bem barata.

Talvez – apenas talvez – descesse ali pra Austrália, só pra ver como estão as coisas e tirar umas fotos na Opera House.

Seria demais :)

Para ouvir depois de ler: I've Seen It All - Björk

7 comentários:

Fabíola disse...

"I'll wait for you until the streets become sand
And all the cellings in new york have come down
I'll wait for you until the stars dominate the skies again."

Te espero e viajaremos juntos. Com um mapa e uma trilha como em Elizabethtown.
amoo. =*

/L disse...

a fabíola é muito boazinha.
eu te levaria pra trepar nas construções dos maias.

mentira.
eu ia chorar e tirar fotos e dar beijinhos, feito em filme..


é sempre feito filme.
te amo. =*

Sandro Azevedo disse...

Ok, confesso que não li o post todo.. acabei de chegar em casa e estou morto.. mas eu li o Paris Hilton, serve? hahahah
Vc pode comentar decentemente no meu blog? Se não volto aki pra postar um sorriso tb! hahaha

grubson! disse...

Meu roteiro de viagem, seria tipo este.
haha

ahmadzai, te coloquei nos meus favoritos no meu blog.
passa lá dipois.

abraço!

Ruth Lemos disse...

viajar é calidade divide

Isabela Santos disse...

eu assino embaixo.

Anônimo disse...

Aprendi muito