terça-feira, 16 de outubro de 2007

Frasário

Grandes cadeias de livrarias reservam uma prateleira inteira para eles. E lá estão. De longe vejo. Geralmente pequenos. Geralmente rosas. Os livros otimistas. São livrinhos baratos, de poucas páginas recheados de frases para que o leitor “comece bem o dia”.

São inúmeras falas retiradas de grandes romances de Victor Hugo ou Mark Twain descontextualizadas e colocadas na boca desses autores como se fossem suas respectivas filosofias. Mas estamos acostumados com isso desde que William Shakespeare não sabia se seria ou não seria e que Carlos Drummond de Andrade virou apenas uma pedra no meio do caminho. E agora, José?

Não que eu não goste de citações, eu só também não tenho costume de colecioná-las. Já li algumas muito boas. “Leva-se muito tempo para ser jovem”, disse Picasso, por exemplo. Tem uma que li em um desses livrinhos na fila, desconheço o autor, mas lembro que diz: “Mentes são como pára-quedas; só funcionam depois de abrir”. Mas eu acrescento: cuidado que se estiver muito aberta fica fácil colocar bobagens lá dentro.
Para ouvir depois de ler: Those Sweet Words - Norah Jones

3 comentários:

Pedro disse...

blogs legais devem ser parabenizados. então...
parabéns!!

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site