domingo, 7 de dezembro de 2008

Quando ninguém rouba a cena



Algumas pessoas vão dizer que é exagero meu, mas “Queime Depois de Ler” deve ser uma das melhores comédias que vi em 2008. Nele, os diretores Joel e Ethan Coen satirizam os filmes de espionagem, gênero que nunca fez minha cabeça.

É assim: Um agente da CIA, Osbourne Cox (John Malkovich), pede demissão quando a agência lhe ofereceu um posto burocrático. Ele começa a escrever um livro de memórias e sua esposa (Tilda Swinton) faz uma cópia dele para anexar ao seu processo de divórcio e poder, enfim, viver com seu amante, Harry (George Clooney), um ex-segurança do governo.

Até aí, tá entendido? Então, o rascunho desse livro do Cox cai nas mãos de Linda (Frances McDormand) e Chad (Brad Pitt), dois palermas que querem lucrar alguma coisa com o material – mesmo sem saber exatamente do que se trata.

E isso tudo é só o começo.

A sátira à espionagem é sensacional. Além de câmeras que simulam telescópios, helicópteros e agentes com escutas no ouvido, a rede de segredos, chantagens e mentiras entre os personagens é tão extensa que, no fim, nem eles mesmos sabem o que estão fazendo. E pra não correr o risco dos telespectadores sentirem a mesma coisa, os Coen fazem alguns “recapitulando”, na forma de dois agentes da CIA que buscam algum sentido nos acontecimentos.

O genial é que um processo de divórcio, acontecimento insignificante em escala global, acaba se transformando em uma bagunça que envolve mais gente do podíamos imaginar. Como na vida real, o filme mostra que ninguém é 100% bom, ou ruim, ou inteligente, ou burro.

Mas nem o próprio filme se leva muito a sério, é tudo uma grande piada. As vezes você acha que tem alguma mensagem, alguma lição em alguma coisa. Mas não tem. As tiradas são rápidas e mórbidas, não dão o tempo de você pensar – ou seja, se não entender alguma, esqueça. Até você refletir no que foi a piada, já passaram mais duas na tela – e provavelmente uma é do Brad Pitt, especialmente engraçado neste filme. Aliás, eu quase falaria que ele rouba a cena, mas todo o elenco é hilário.

Deve ter sido um roteiro complexo de escrever e eu realmente não sei quanto tempo eles levaram escrevendo e filmando, nem quanto foi gasto na produção, mas “Queime Depois de Ler” valeu cada centavo dos cofres da Paramount e do meu bolso.

5 comentários:

Alfredo Souza disse...

sim, eu comecei a ver. mas tive de parar para ajudar mamãe. to voltando pra ver o final agora. to adorando"

Glauce Lucas disse...

Não deu tempo de irmos hoje mas quero ir mesmo. Eu já tinha ficado com vontade ao ler algumas coisas, depois do seu post, só aumentou a vontade ;-)

Bruno Taurinho disse...

eu lembrei agora do John Malkovich fazendo exercícios e falando: i'm back, you fuckers, i'm better, i'm back. é espetacular.

anafilatico disse...

Eu assisti ao filme e é muito bom. Tsnto ele quanto Vicky Cristina Barcelona são uns dos filmes mais engraçados e inteligentes de 2008. Os dois tem a similaridade na abordagem não convencional sobre seus temas sem deixarem de ser simples.
abraços

Serginho Tavares disse...

vou ver esse filme! elenco otimo e direção dos coen? to dentro!