domingo, 25 de novembro de 2007

Saldo

Se tem uma coisa boa em aniversários é a reflexão. As pessoas param pra pensar em suas vidas apenas nessa data – e ocasionalmente no ano-novo. Eu geralmente não chego a conclusão nenhuma em nenhuma das datas citadas a não ser a de que um ano se passou. Parece redundante, mas não é. O único conceito de tempo que eu devia ter é o de que ele está passando.

Fiz 20 anos na semana que passou. Vinte. É incrível o tanto de coisa que já fiz e já passou por mim. É aliviante ver as coisas que quis e tive como fazer e não fiz. É patético lembrar de certas coisas, nostálgico de outras. Eu me sinto totalmente livre e, ao mesmo tempo, completamente atolado de planos. E certos planos são armadilhas. Mas apesar de todo o inferno (astral) que passei e passou, apesar das decepções e choros, dos tapas e socos e dores, também houve música, e amores, e cócegas e cicatrizações.

3 comentários:

Túlio;Rocha disse...

Sempre paro pra pensar também, mas... sempre chego a lugar nenhum, a não ser, idade avançando cada vez mais!!! hehehe, adorei!

Mariana disse...

Que boniiiiito! Amei! Meu inferno astral começou beijos! Embora não acredite nisso. Veremos, tam dam dam.

Anônimo disse...

Pra começar, o que é isso? "Se quiser falar sobre a postagem, deixe logo o seu recado gravado, bem bunito e digitado pra eu poder entender. Mas deixe um recado breve que nóis fica bem alegre e depois fala com você."

Horrores lingüísticos à parte eu me antecipo: a vida é assim. Não parece ser nenhuma novidade, mas é. O tempo passa e a gente passa junto (ou a gente fica?). É, aniversários e fim de ano e aniversário próximos aos fins e inícios de anos são mais uma desculpa pra se isolar e pensar e pensar e pensar. Eu penso tanto que as vezes me confundo: será que eu realmente fiz o bastante nesses anos todos? E tal.

Mais um comentário que não dá pra entender direito de novo. =* Te amo.